sábado, 1 de novembro de 2014

Túlio e a organização das turmas para 2015

Túlio é o nosso secretário e com muita propriedade organizou uma reunião para informar às nossas professoras como ficarão as turmas em 2015, além de outras providências para finalizar este ano letivo. Túlio encantou a todas nós recitando um poema em castelhano sobre a real importância do saber amar. Na sequência, Túlio deu início a reunião onde esclareceu muitas dúvidas sobre concurso de remoção externo e interno, estratégia de matrícula, distribuição de turmas, etc. Parabéns Túlio, você arrasa nas suas intervenções administrativas nas reuniões. Com sua sapiência e docilidade esclarece qualquer dúvida e informa com clareza e eficácia da forma mais acertada. O poema ficará registrado no blog, além das fotos desta reunião.


Ustedes y Nosotros 
                                                                           Mario Benedetti


Ustedes cuando aman
exigen bienestar
una cama de cedro
y un colchón especial

nosotros cuando amamos
es fácil de arreglar
con sábanas qué bueno
sin sábanas da igual

ustedes cuando aman
calculan interés
y cuando se desaman
calculan otra vez

nosotros cuando amamos
es como renacer
y si nos desamamos
no la pasamos bien

ustedes cuando aman
son de otra magnitud
hay fotos chismes prensa
y el amor es un boom

nosotros cuando amamos
es un amor común
tan simple y tan sabroso
como tener salud

ustedes cuando aman
consultan el reloj
porque el tiempo que pierden
vale medio millón

nosotros cuando amamos
sin prisa y con fervor
gozamos y nos sale
barata la función

ustedes cuando aman
al analista van
él es quien dictamina
si lo hacen bien o mal

nosotros cuando amamos
sin tanta cortedad
el subconsciente piola
se pone a disfrutar

ustedes cuando aman
exigen bienestar
una cama de cedro
y un colchón especial

nosotros cuando amamos
es fácil de arreglar
con sábanas qué bueno
sin sábanas da igual.




 



Dia das professoras na Escola Classe Rua do Mato

Ser professor é professar a fé e a certeza de que tudo terá valido a pena se o aluno sentir-se feliz pelo que aprendeu com você e pelo que ele lhe ensinou...
Ser professor é consumir horas e horas pensando em cada detalhe daquela aula que, mesmo ocorrendo todos os dias, a cada dia é única e original...
Ser professor é entrar cansado numa sala de aula e, diante da reação da turma, transformar o cansaço numa aventura maravilhosa de ensinar e aprender...
Ser professor é importar-se com o outro numa dimensão de quem cultiva uma planta muito rara que necessita de atenção, amor e cuidado.
Ser professor é ter a capacidade de "sair de cena, sem sair do espetáculo".
Ser professor é apontar caminhos, mas deixar que o aluno caminhe com seus próprios pés...

        Minhas meninas: Deise, Pollyanna, Andressa, Marinete, Samir, Sheyla, Célia, Fabiana, Patrícia, Zeneide, Del e Railane. Vocês abrilhantam esta escola e dão um sabor diferenciado pedagógico. Sem palavras...Apenas minha admiração e meu muito obrigada por tudo que vocês são.  Almoço gostoso, lembrancinhas, homenagens orais e através de slides ainda é pouco perto do que vocês merecem. Parabéns e confiram nossos registros que emanam pura alegria.










































Projeto "Diz aí professor" com a tia Bruna

Nossa vice-diretora Bruna ministrou uma maravilhosa palestra sobre "A musicalidade e a criança". Todas as professoras aprenderam muito através de uma organização feita em slides. Inúmeras pesquisas, desenvolvidas em diferentes países e em diferentes épocas, particularmente nas décadas finais do século XX, confirmam que a influência da música no desenvolvimento da criança é incontestável. Algumas delas demonstraram que o bebê, ainda no útero materno, desenvolve reações a estímulos sonoros.
            Schlaug, da Escola de Medicina de Harvard (EUA), e Gaser, da Universidade de Jena (Alemanha), revelaram que, ao comparar cérebros de músicos e não músicos, os do primeiro grupo apresentavam maior quantidade de massa cinzenta, particularmente nas regiões responsáveis pela audição, visão e controle motor (apud SHARON, 2000). Segundo esses autores, tocar um instrumento exige muito da audição e da motricidade fina das pessoas. O que estes autores perceberam, e vem ao encontro de muitos outros estudos e experimentos, é que a prática musical faz com que o cérebro funcione “em rede”: o indivíduo, ao ler determinado sinal na partitura, necessita passar essa informação (visual) ao cérebro; este, por sua vez, transmitirá à mão o movimento necessário (tato); ao final disso, o ouvido acusará se o movimento feito foi o correto (audição). Além disso, os instrumentistas apresentam muito mais coordenação na mão não dominante do que pessoas comuns. Segundo Gaser, o efeito do treinamento musical no cérebro é semelhante ao da prática de um esporte nos músculos. Será por isso que Platão já afirmava, há tantos séculos, que a música é a ginástica da alma? Bruna de Cássia responde...
                Confiram as fotos musicais...